Follow by Email

29 de novembro de 2009

Fora brucutus!

Não é um mito, ou uma lenda, muito menos um conto de fadas. Claro, são raros, mas existem e quando encontra-se um deles, seus conceitos começam a se sentirem abraçados. São eles, os homens sensíveis, os que motivam nossos dias e nos fazem estar certas que um amanhã menos brucutu é possível.

Eles são poucos, mas motivadores de uma escola de novos outros. Seres que sabem dosar a força e o carinho, as flores e as brincadeiras, a personalidade e a franqueza, a emoção e a razão. Mais fortes que supostos machões, eles sabem a que vieram, não temem sentir e muito menos demonstrar e são felizes por serem verdadeiros companheiros a suas eleitas.

Preciso dizer que com um sentimento verdadeiro dentro do peito eles são fiéis? Não agem visando apenas o próprio umbigo,pois se importam com quem está a seu lado. Antes que pense errado, não são príncipes encantados, ou muitas vezes passam longe disso, mas iniciam muito bem a relação ao terem dentro de si algo que muitos matam a cada novo dia: a sensibilidade.Cá entre nós, se você não é um deles, ainda dá tempo, garanto que sua vida será muita mais leve do que nos tempos das trevas. (MP)

**

O homem sensível não é nenhum delírio ou devaneio utópico moderno. Estamos, e sempre estaremos, povoando este mundo. Atenção, mulheres! Os homens sensíveis existem, sim, uns mais, outros menos. Os homens sensíveis não são uma espécie em extinção, pelo contrário, as mulheres os veneram, desde que não excedam os limites do bom senso, e continuem a mandar flores, e sejam compreensivos, e discutam a relação e qualquer assunto com desembaraço, e não caiam nas armadilhas do relacionamento.

O homem não pode ser é “broncossauro”, ou seja, do tipo machão e dominador. Essa é uma espécie que desconhece limites e gosta de impor regras. É aquele que “canta de galo” e tem perguntas típicas como “Ei, aonde você vai?” ou “Que roupa curta é essa?”. O seu território, ou melhor, sua propriedade é a parceira. Eles têm a vantagem de, ao menos, criarem uma sensação de segurança e proteção nas mulheres, mesmo que suas atitudes tenham a marca da passionalidade.

O negócio é o meio termo – nada demais, e nada de menos. A minha sensibilidade, por exemplo, nunca esteve saliente até o dia que entrou, ou melhor, invadiu a minha vida uma pessoa que moveu (e muito) meus conceitos: Débora. E eis que mudei minhas idéias e meus comportamentos e hoje posso falar-lhes que sou um novo homem. Ela acrescentou muito à minha vida. O segredo é encontrar a tampa certa para sua panela. E você, caro leitor, em qual dos casos se encaixa?(CE)

14 de novembro de 2009

Evite ser traído

Você homem da atualidade, vem se surpreendendo diuturnamente com o "nível" intelectual, cultural e, principalmente, "liberal" de sua mulher, namorada etc. As vezes sequer sabe como agir, e lá no fundinho tem aquele medo de ser traído - ou nos termos usuais - "corneado". Saiba de uma coisa...
Esse risco é iminente, a probabilidade disso acontecer é muito grande, e só cabe a você, e a ninguém mais evitar que isso aconteça - ou então - assumir seu "chifre" em alto e bom som. Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos.
Mas o que seria uma "mulher moderna"? A principio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem tem) tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é corajosa, companheira, confidente, amante...
É aquela que as vezes tem uma crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está errada e correr pros seus
braços... É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e meiga, arrumada e linda... Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer... Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas" pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É???) "corno", ao menos que:
- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje, elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.
- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.
- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol...) mais do que duas vezes por semana, três vezes então é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo...Bem...
- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.
- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfaze-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo com relação ao sexo e, principalmente dos 20 aos 38 anos, elas pensam - e querem - fazer sexo TODOS OS DIAS (pasmem, mas é a pura verdade)... Bom, nem precisa dizer que se não for com você...
- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????
- Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.
- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo
com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você...só que o prato principal, bem...dessa vez é a SUA mulher.
- Sabe aquele bonitão que, você sabe, sairia com a sua mulher a qualquer hora. Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira.
Basta ela, só por um segundo, achar que você merece...Quando você reparar... já foi.
- Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar do lado e simplesmente dormir.
- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas isas...senão...
Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência". Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas"... proteja-a, ame-a, e, principalmente, faça-a saber disso. Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele `bonitão´ que vive enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!!

Arnaldo Jabor

9 de novembro de 2009

Não seja enfeite de prateleira

O amor mais importante na vida é o amor próprio. Você gosta de você? É incondicional? As suas decisões são todas em favor da sua felicidade? A maioria das pessoas diria “não” para estas perguntas. Nós temos que ser independentes de sentimentos, de situações e, em especial, de pessoas que não agregam nada, absolutamente nada, em nossas vidas. A minha filosofia de vida é simples: meu objetivo é deixar a minha marca neste mundo, nem que seja para receber críticas.

Eu, você e qualquer pessoa que povoa este planeta podemos fazer das nossas virtudes recompensas para outras pessoas, mas, é claro, se nos valorizarmos como devemos, uma vez que não somos mágicos, caro leitor – isto é – não podemos entregar nada a outras pessoas se não a temos. O amor gera o amor, como a gentileza gera a gentileza, o respeito gera o respeito, a lealdade gera mais lealdade, e assim por diante. E, naturalmente, uma pessoa sem felicidade gera um companheiro sem felicidade.

A solução para os nossos problemas, muitas vezes, está muito mais perto do que se imagina: dentro de nós mesmos. E, nas outras ocasiões, não está tão distante como parece. Um pouco de independência, de controle emocional, de segurança e de atitudes ajudam a superar qualquer problema pessoal ou momento ruim, inclusive amoroso. Eu sou dono da minha vida e do meu destino e, por isso, nada, e nem ninguém, vai dinamitar minha alta estima. A minha vida é um balão em ascensão e sem limites!(CE)


**


Não seja enfeite de prateleira, nem um mero grão de milho ou sequer um número apenas na longa lista de seu suposto namorado. Em outras palavras, acorda mulher e se valoriza.

Se ele não tem tempo para você, não estimula a relação com carinho e sinceridade, sai com você como se fosse uma obrigação e por mais que você tente parece que sempre está aquém das expectativas dele, sinceramente você merece estar numa relação assim pela falta de valorização a si mesma.

Que você acha? Que ele é o último biscoito do pacote e por isso você não pode largá-lo? Faz-me rir. Homens há aos montes e embora o príncipe como sempre falo não exista, é fato que haverá alguém melhor do que esta criatura que lhe deixa cada vez mais solitária, mesmo estando acompanhada. Por mais que a sociedade nos imponha um amor, é melhor ficar sozinha do que acompanhada apenas da ingratidão.(MP)

1 de novembro de 2009

Pausa para o café

Amor Epidérmico

Seus pais foram jantar fora e deixaram o apartamento só para você, seu namorado e a tevê a cabo. Que inconseqüentes! Em menos de um minuto vocês deixam a televisão falando sozinha e vão ensaiar umas cenas de amor no quartinho dos fundos. De repente, escutam o barulho da fechadura. Seu pai esqueceu o talão de cheques. Passos no corredor. Antes que você localize sua camiseta, sua mãe se materializa na porta. Parece que ela está brincando de estátua, mas não resta dúvida que entrou em estado de choque. Você diz o quê? Mãe, a carne é fraca.

A desculpa é esfarrapada mas é legítima. Nada é mais vulnerável que nosso desejo. Na luta entre o cérebro e a pele, nunca dá empate. A pele sempre ganha de W.O.

Você planeja terminar um relacionamento. Chegou à conclusão que não quer mais ter a seu lado uma pessoa distante, que não leva nada à sério, que vive contando piadinhas preconceituosas e que não parece estar muito apaixonado. Por que levar a história adiante? Melhor terminar tudo hoje mesmo. Marca um encontro. Ele chega no horário, você também. Começam a conversar. Você engata o assunto. Para sua surpresa, ele ficou triste. Não quer se separar de você. E para provar, segura seu rosto com as duas mãos e tasca-lhe um beijo. Danou-se.

Onde foram parar as teorias, os diálogos que você planejou, a decisão que parecia irrevogável? Tomaram Doril. Você agora está sob os efeitos do cheiro dele, está rendida ao gosto dele, está ligada a ele pela derme e epiderme. A gravação do seu celular informa: seus neurônios estão fora da área de cobertura ou desligados.

Isso nunca aconteceu com você? Reluto entre dar-lhe os parabéns ou os pêsames. Por um lado, é ótimo ter controle absoluto de todas as suas ações e reações, ter força suficiente para resistir ao próprio desejo. Por outro lado, como é bom dar folga ao nosso raciocínio e deixar-se seduzir, sem ficar calculando perdas e danos, apenas dando-se ao luxo de viver o seu dia de Pigmaleão.

A carne é fraca, mas você tem que ser forte, é o que recomendam todos. Tente, ao menos de vez em quando, ser sexualmente vegetariano e não ceder às tentações. Se conseguir, bravo: terá as rédeas de seu destino na mão. Mas se não der certo, console-se. Criaturas que derretem-se, entregam-se, consomem-se e não sabem negar-se costumam trazer um sorriso enigmático nos lábios. Alguma recompensa há de ter.

Martha Medeiros