Follow by Email

19 de julho de 2011

Quando é hora de casar!

Casamento nos dias em que vivemos soa por vezes como um p-a-l-a-v-r-ã-o. Pergunto aos caras da minha idade se querem casar e a resposta é instantânea: querer todo homem quer, só falta às mulheres concordarem!
Entendo que o casamento é uma luta entre dois desconhecidos que não se conhecem. A minha geração não quer casar porque acha o mundo algo instantâneo, que precisa da liberdade a sós para sentir-se livres.
Outro dia conversando com um amigo de boteco, ele dizia: eu até queria casar, mas têm muita opção que eu fico com medo de ter de trocar de mulher! Casar é uma arte que deve ser bem encenada pelos atores principais nesse grande espetáculo que é a vida. Casamento é uma forma de unir dois seres para conjugação de interesses, crescimento pessoal e principalmente para que vivam a sua vida e busquem na unidade do matrimônio saídas para consolidarem uma união de paz e felicidades. (RT)



Tinha uma certeza na vida quando encontrei meu atual namorado pela primeira vez: não queria casar. Achava que era limitador à minha condição como indivíduo. Sete anos depois já estamos planejando nosso casamento para setembro. O que mudou? Conheci-me melhor diante do outro, por mais piegas que isso possa soar.
Por isso digo, não é o casamento que muda, mas nossa concepção diante dele. Sou partidária do conceito que nos conhecemos melhor na convivência, na relação com outros. Afinal, o que vive isolado ou bate no peito ser solteiro convicto pode muito bem estar escondido atrás do medo de se conhecer de verdade na vivência com o outro. 
Me conheci, me descobri, me amei e amei ainda mais a ideia de sim, passar a vida ao lado de alguém que me fez crescer, me fez melhor e quem sou hoje. Casar é para os fortes, os que não temem, os que apostam. Melhor tentar a limitar-se pelo medo.  (MP)

3 comentários:

Tathi Lu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
T.a.t.h.i.a.n.a L.u.c.e.n.a disse...

Na verdade, nossa geração tem medo do compromisso mesmo. A maioria não tem responsabilidade, não tem garra, não tem palavra, não tem persistência. Somo em maioria filhinhos de papai e mamãe superprotetores, e estamos acostumados a gritar por nossos pais na hora do aperto muito mais do que resolvermos nossos conflitos por conta própria.
Isso tudo gera pessoas imaturas, sem responsabilidade, sem compromisso, sem garra para enfrentar o que quer que seja e grandes egoistas egocêntricos incapazes de abrir mão de seus próprios desejos, conceitos e vontades em prol da paz e harmonia a dois.
Daí, o alto número de divorcios e casamentos infelizes e à base

Mayara Paz disse...

Tahti, bem-vinda ao Dois em Xeque.
Realmente casar não é um ato para todos. O amadurecimento é necessário nessa fase e nem todos estão preparados para crescer. Acredito, ainda, que há uma grande confusão entre ter individualidade como solteira e perdê-la num casamento. Enquanto não enxergarem o casamento como uma fase positivas sem prisões e amarras como é de comum erro, poucos serão felizes realmente ao lado de outra pessoa. Beijos e esperamos sempre suas visitas!!