Follow by Email

22 de junho de 2009

A crise mostra a sua cara

Elas são inevitáveis: as crises no relacionamento são normais, acontecem mesmo, mas não se pode ignorá-las, pois o resultado nós sabemos – desencontro, insatisfação, depressão, desculpas, acusações e, por fim, separação. Os motivos dos vendavais são os mais diversos, mas crise é crise e superá-la é a finalidade. A sabedoria popular garante, inclusive, que percorre pelos relacionamentos uma maldição chamada de “Crise dos Sete Anos”, mais dia ou menos dia, ela chegará, indubitavelmente.

E, então, como superá-la? A dinâmica do casal é que vai determinar o rumo do caminho certo – separar ou reconciliar, mudar ou insistir –, o importante é encontrar uma solução. O amor não é simples, pelo contrário, é bastante misterioso e complexo, mas, acredite você, as melhores soluções são as mais simples, na minha opinião: conversas, meditações, mudanças, responsabilidade e até valentia. Uma crise conjugal não é um labirinto sem saída, mas merece uma atenção especial.

Eu persisto uma, duas, três vezes, se realmente gostar da pessoa, mas desistir, jamais! Eu sou um otimista. Os laços que unem o casal não podem ser desatados facilmente. A crise é, também, uma oportunidade para “aparar as arestas”, porque nenhum relacionamento nasce pronto e acabado, pelo contrário, é uma arte que merece os mínimos acabamentos e requer muita paciência. O amor se constrói de tijolo em tijolo. É isso! (CE)


**


O mundo anda em crise. São juros, impostos indevidamente aplicados, economia em queda e os ânimos agitados. As relações também passam por crises. Os juros de falta de carinho sobem, os impostos de cobranças aumentam, a economia de reciprocidade cai e os ânimos? Ah, estes ficam em pé de guerra com a paz.

Mentiras, traição, distância, tempo perdido, pessoa perdida, sentimento perdido são algumas das razões que levam uma relação ao fundo do poço. E se ele não tiver uma mola lá no fim, é o término certo da relação. Ou seja, se não há bases, a união não vai resistir aos obstáculos. E se não resistiu, é sinal de que os fatos comprovam que há pessoas que não nasceram para estar juntas e não adianta insistir.

Crises vão sempre existir, seja o relacionamento bom ou ruim. Quem diz que nunca passou por isso está mentindo – para os outros ou para sim mesmo. Os obstáculos sempre existirão, como você vai lidar com eles é o que faz o grande homem ou a grande mulher. (MP)

2 comentários:

Juliana disse...

Acho que toda crise é válida, ela nos engradece dentro da relação, através delas é que realmente conhecemos a pessoa com quem estamos, eu tb tento várias vezes, nunca desisti na primeira crise, acho que só se deve colocar um ponto final quando o sentimento acaba, pois sem ele não há crise que resista!!
Belo texto!
Bjos aos dois.

Mayara Paz disse...

Acho que o ponto final existirá mesmo antes de uma crise...num olhar não recíproco, num evitar de dar as mãos ao mudar de rua. A crise? é apenas um último suspiro.
Valeu pelo comentário Ju!
beijos